Digite sua busca

Fechar

USP Pirassununga

O campus de Pirassununga – cidade a 190 km (120 milhas) da capital –, criado em 17 de outubro de 1989 pelo então Reitor, Prof. José Goldemberg, teve sua história iniciada na década de 1940, quando o interventor no Estado de São Paulo, Fernando Costa, expropriou algumas propriedades rurais para a construção de instalações visando à implantação de uma Escola Prática de Agricultura (EPA).

Em 1957, o governador do Estado de São Paulo, Jânio da Silva Quadros, doou a área para a Universidade. O campus USP Fernando Costa em Pirassununga é o maior em área contígua e também o de maior proporção de área de reserva ecológica, 2,333 mil hectares e 37,67 % da área total do campus, respectivamente. Abriga as Faculdades de Zootecnia e Engenharia de Alimentos –FZEA, com os cursos de Zootecnia, Engenharia de Alimentos, Engenharia de Biossistemas e Medicina Veterinária, além da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia –FMVZ, com Medicina Veterinária.

Desde 2014, a USP, por meio da SGA, tem destinado verba específica para as ações de conservação, restauração, pesquisa e extensão nas áreas de reserva ecológica de seus campi. Em Pirassununga, o recurso foi utilizado prioritariamente para a preservação dessas áreas. Foram adquiridos materiais, equipamentos e serviços para o isolamento da reserva ecológica dos fatores de degradação pela construção e manutenção de 11,300 mil metros de cercas (entre 2014 e 2016) e de aceiros de proteção contra incêndios.

Áreas em reflorestamento no campus de Pirassununga

Também está prevista a restauração dos fragmentos de floresta por meio da produção de mudas nativas em estufa agrícola. O trabalho foi iniciado em parceria com a concessionária da rodovia Anhanguera. Foram plantados 3,3 hectares e 11,690 mil mudas, nos períodos compreendidos entre 2014-15 e 2015-16, respectivamente.

Para integrar as atividades de pesquisa e ensino às necessidades do campus de conservação e manutenção das reservas ecológicas, conta-se com um sistema de monitoramento, operado com a colaboração de docentes do curso de Engenharia de Biossistemas da Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA), que possui vasto número de aplicações, incluindo o monitoramento limnológico e de áreas de risco (deslizamentos, incêndios, inundação). Todas estas informações são de fundamental importância para o suporte à gestão das áreas de reserva ecológica.

Por iniciativa de servidores técnico-administrativos, participantes do Programa de Formação Socioambiental de Servidores da SGA, foram demarcadas trilhas ecológicas no campus. Numa ampliação dessa atividade foi proposto projeto subsequente, com o incremento de sinalização das trilhas mediante a instalação de placas interpretativas, de orientação e de espécie, e previsão da integração destas a um sistema de compartilhamento de bicicletas, que podem ser usufruídas com segurança e acessadas com facilidade pela comunidade interna. Este segundo projeto contou com o apoio do Poder Judiciário do Município de Pirassununga.

Em 2014, sob a coordenação da Prefeitura do campus (PUSP-FC), foi criado o grupo de gestão integrada de resíduos, que atua na coleta e na destinação dos resíduos de interesse ambiental (biológicos e químicos). Os resíduos biológicos são coletados semanalmente por empresa especializada, com acompanhamento de membros do grupo. Os resíduos químicos ainda representam grande desafio, devido à carência de um local próprio para seu armazenamento temporário no campus. Além disso, o grupo atua em atividades como treinamentos, padronização de protocolos de rotulagem, pré-tratamentos, quantificação e armazenamento interno.

Para a destinação dos recicláveis, conta com a colaboração da cooperativa da cidade (COOPEREP), que recolhe os materiais semanalmente. Há, ainda, coleta de pilhas, baterias, lâmpadas fluorescentes e resíduos de óleo automotivos, encaminhados a empresas especializadas.

Atualmente, as ações educativas relacionadas à gestão dos resíduos são auxiliadas pelas atividades das Comissões do Programa USP Recicla presentes no campus, uma da Prefeitura do campus e outra da Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos/FZEA.

A geração de efluentes de origem agroindustrial, pelas unidades produtoras existentes no campus, tem recebido grande atenção, atualmente recursos estão sendo alocados para implantação de biodigestor para tratamento dos resíduos da suinocultura, além da elaboração de projeto executivo para tratamento das águas residuárias do abatedouro.

No ano de 2017, foi constituída a Comissão de Gestão Ambiental para o campus Fernando Costa para elaboração do Plano Diretor Socioambiental Participativo em consonância com a Política Ambiental da USP.

Acesse o site da prefeitura do campus:  http://www.puspfc.usp.br/