', 'usp.br', {'name': 'blog_ID_103'}); ga('blog_ID_103.send', 'pageview'); ga('send', 'pageview');

História

Bloco Administrativo Foto Márcio Santos/ USP Imagens

Bloco Administrativo
Foto Márcio Santos/ USP Imagens

Os princípios da Carta à Universidade de São Paulo e a Proposta de Gestão Ambiental para a USP de 2009  levaram à publicação da Portaria GR-4.448, de 29 de setembro de 2009, que dispôs sobre a criação de Grupo de Trabalho com a incumbência de definir as formas de implantação da Gestão Ambiental na USP.

A parir disso, a Universidade de São Paulo, pela Resolução 6062 de 27 de fevereiro de 2012, criou a Superintendência de Gestão Ambiental – SGA –, com o objetivo de planejar, implantar, manter e promover a sustentabilidade ambiental nos 14 campi e áreas de pesquisa da Universidade de São Paulo.

Além disso, também busca incorporar a dimensão ambiental de sustentabilidade a todas as políticas, planos e atividades da universidade, sejam elas nas áreas de ensino, pesquisa, extensão ou gestão.

A partir dessas premissas, a SGA começou a desenvolver ações almejando três principais objetivos:

  • Ações sustentáveis;
  • Ter os campi como verdadeiros laboratórios para as cidades;
  • Redução da emissão de carbono nos campi.

Como resultado dessas ações, a Superintendência de Gestão Ambiental, em seu segundo mandato (2014), iniciou o processo de elaboração da Política Ambiental da USP que orientará decisões futuras da universidade. Para iniciar as atividades, foram criadas 12 subdivisões que buscam abarcar de forma mais aprofundada as possibilidades de trabalho:

  • GT  Águas e Efluentes
  • GT  Áreas Verdes e Reservas Ecológicas
  • GT  Edificações Sustentáveis
  • GT  Educação Ambiental
  • GT  Redução de Emissões de Gases de Efeito Estufa e Gases Poluentes
  • GT  Energia
  • GT  Fauna
  • GT  Mobilidade
  • GT  Resíduos Sólidos
  • GT  Sustentabilidade na Administração
  • GT  Uso e Ocupação Territorial
  • GT  Política Ambiental na Universidade

As atividades foram realizadas pela equipe da SGA em associação com grupos de professores, funcionários e alunos de diversas unidades, incluindo todos os campi da USP, além da participação de outras superintendências.

Há também atividades conjuntas com universidades do exterior a fim não só de alavancar a USP internacionalmente, mas também de trocar experiências quanto às ações sustentáveis em campi pelo mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *